O que é Doença de Parkinson – Aprenda mais

A Doença de Parkinson é degenerativa, crônica e progressiva. Ela ocorre devido à diminuição da dopamina (neurotransmissor).

A dopamina permite a execução dos movimentos voluntários do corpo de forma automática, pois nós não temos necessidade de pensar ao realizar, devido à substância em nossos cérebros.

Causas da doença de Parkinson

O envelhecimento dos indivíduos saudáveis demonstra morte progressiva das células nervosas. Existem alguns que perdem e acabam manifestando os sintomas da doença.

Entretanto, não sabe o motivo que causa a perda progressiva e exagerada de células nervosas. De qualquer forma existem alguns fatores que desencadeia a doença e pode ser genético ou ambiental.

Genética ou Ambiental

Existem alguns genes relacionados com a ocorrência da doença, porém ela não é hereditária. Ocasionalmente pode ter vários casos na mesma família.

No entanto, não tem como definir se pode trazer riscos para os filhos dos pacientes que desenvolve a doença. Os genes que favoreceram podem agir de forma indireta com diversos fatores.

Com isto é possível ocorrer também por fatores ambientais, como contaminação com agentes tóxicos (agrotóxicos e resíduos químicos). Quando existe a falta, o controle motor é perdido e pode causar alguns sinais e os seguintes sintomas.

Principais sintomas da doença de Parkinson

Os sintomas principais são:

  • Tremores;
  • Acinesia ou bradicinesia (lentidão e diminuição dos movimentos voluntários);
  • Rigidez (enrijecimento dos músculos, principalmente no nível das articulações);
  • Instabilidade postural (dificuldades relacionadas ao equilíbrio, com quedas frequentes).

O sintoma da doença de Parkinson pode instalar-se de forma lenta e progressiva, aos 60 anos de idade, e 10% dos casos ocorram antes dos 40 anos (parkinsonismo de início precoce) ou ainda em menores de 21 anos (parkinsonismo juvenil).

Pode afetar todos os sexos e raças e pode iniciar em um lado do corpo. No geral, o paciente percebe que o movimento está difícil e vagaroso e pode atrapalhar tarefas habituais. Além disso, pode piorar de intensidade e afetar o outro membro do mesmo lado e depois de alguns anos o outro lado do corpo. Ainda é possível ter dificuldade para andar e alterações da fala.

Diagnóstico do Parkinson

O diagnóstico é clínico e deve ser feito por um médico neurologista, que sabe diferenciar de outras doenças neurológicas.

É feito também, exames complementares, como tomografia cerebral, ressonância magnética entre outros.

Tratamento do Parkinson

Os sintomas da Doença de Parkinson são tratáveis, e os sinais e sintomas respondem bem as medicações.

No entanto, os medicamentos são sintomáticos e põem parcialmente a dopamina que falta.

Entretanto, não existem drogas disponíveis para curar ou evitar a progressão da degeneração de células nervosas, mas possuem medicamentos antiparkinsonianos disponíveis, que precisa ser administrado no paciente conforme a fase de evolução da doença.

Existem também técnicas cirúrgicas para atenuar os sintomas, mas somente é indicado quando os medicamentos não controlam.

Com o tratamento é feito uso de medicamentos, fisioterapia, fonoaudiologia, suporte psicológico e nutricional para garantir ao paciente uma vida independente. Por meio do tratamento a ideia é diminuir o prejuízo funcional decorrente da doença, porém, para melhor orientação, procure um neurologista.